Villa-Lobos e Maldita 3.0 debateram caminhos do rock nacional

Debate comparou época da Fluminense FM com a de hoje

A Escola de Música Villa-Lobos, no dia 08 de junho, trouxe para o Auditório Guerra-Peixe um pouco da história de uma das rádios mais marcantes na cena musical brasileira, a Rádio Fluminense FM, conhecida como “Maldita”. O painel “Comparando duas eras: a Fluminense FM de ontem e o streaming de hoje” teve como convidado o jornalista e curador da exposição Maldita 3.0, Alessandro Alr.

O encontro debateu o cenário atual da produção e distribuição da música, sobretudo o gênero rock, bem sua execução nas mídias, de forma comparativa com a época de ouro em que a Fluminense FM servia como vitrine de bandas nacionais da década de 1980. No auge da “Maldita”, a rádio apresentou ao público bandas como Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho, Blitz, dentre outras. Alessandro Alr abordou as diversas fases pela qual a Maldita passou, citando suas dificuldades financeiras e muita criatividade para conquistar os ouvintes, como ocorria com as promoções de ingressos.

A maior parte da conversa passou por uma análise do cenário atual de bandas de rock, especificamente no Rio de Janeiro. As cenas surgem e naturalmente muitas bandas ganham destaque. “Hoje em dia uma banda não tem que depender de rádio. Tem que saber encarar não apenas como algo artístico mas como um negócio”, indica Alessandro, que vem levando para a exposição Maldita 3.0 painéis sobre mecanismos para uma banda de sustentar financeiramente.

A Exposição Maldita 3.0 fica em cartaz até o dia 11 de julho no Palácio dos Correios, em Niterói.