UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO COM INTERESSE PÚBLICO

Na tarde de terça-feira, 21 de fevereiro, professores e funcionários da Escola de Música reuniram-se no Auditório Guerra-Peixe, a pedido do diretor Carlos Belém, para o primeiro encontro do ano. A reunião ocorreu semanas antes do início do período letivo, programado para 06 de março.
Instituição pública
 
Um dos pontos destacados na fala do diretor Carlos Belém é a importância em sempre se ter como meta a condição de interesse público da Escola de Música Villa-Lobos, considerando seu vínculo à Funarj, órgão da Secretaria de Estado de Cultura. 
 
Os números da Escola de Música Villa-Lobos são expressivos e animadores: em 2017, a Escola de Música Villa-Lobos terá uma quantidade de alunos maior do que no ano anterior. São 2.172 alunos inscritos, sendo 1.770 do Curso Básico. 
 
– Esperamos manter os mesmos rumos este ano, apesar de tudo. Tenho recebido elogios mencionando melhorias no atendimento. A meta é o interesse público, a única maneira de revertermos um quadro de instabilidade é o bom funcionamento com aquilo que temos. Claro que enfrentamos problemas, como a falta de luz na biblioteca, que infelizmente por enquanto não há previsão de se resolver – disse o diretor.
 
O diretor também relembrou a superação de tempos em que a relação política entre Direção e AMAVILLA passava por dificuldades de mútua compreensão. Em reuniões realizadas neste ano de 2017, após a eleição da nova direção, que conta com a continuidade do presidente e professor Mauro Carvalho, foram apresentados os novos conselhos, além da confirmação da nomeação do professor Leandro Pereira como novo Coordenador do Curso Básico.
 
As coordenações dos cursos da Escola de Música Villa-Lobos passam a ter os seguintes nomes: 
 
Curso Básico
Coordenador – Leandro Pereira.
 
Curso Técnico 
Coordenador – Wladimir Tourinho
Coordenador adjunto – Levy Nunes
 
Curso Formação Musical
Coordenadora – Denize Vieira
Coordenador adjunto – Leandro Gregório
 
​​

Integração entre cursos

 
Para o diretor Carlos Belém, a integração em todos os cursos é a melhor forma de manter a Escola de Música Villa-Lobos em ritmo crescente. Grupos artísticos, práticas de conjunto, festivais, todos estes eventos são mecanismos de integração que funcionaram muito bem em 2016 e serão repetidos neste ano.
 
– Gostaria muito que fosse além disso, que pudesse haver a circulação de professores e funcionários entre todos os cursos, mas há razões legais que impedem isso – explica.
 
A reunião também serviu para adiantar alguns projetos que serão postos em prática, como a parceria com o Instituto Tom Jobim; a implementação de uma ficha de avaliação para o aluno propor melhorias em todos os setores escolares, do atendimento à sala de aula; e a construção de um sistema escolar online para os alunos, além da criação de uma plataforma de Ensino a Distância (EAD).