TERÇA: PALESTRA SOBRE AFRICANIDADE BRASILEIRA NA MÚSICA POPULAR

Na terça-feira, 28 de junho, a Escola de Música Villa-Lobos, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ, recebeu as cantoras Áurea Martins, Luíza Dionísio e Marina Íris para a palestra arte-educativa “Africanidade brasileira e sua influência na música popular”. O encontro ocorreu às 17 horas no Auditório Guerra-Peixe, com entrada franca e aberta ao público, e com mediação do músico Edu Krieger.

A palestra antecedeu o espetáculo “Voz negra em três gerações“, nos dias 30 de junho, e 01 e 02 de julho no palco do Centro Municipal de Referência da Música Carioca Artur da Távola. O espetáculo, dirigido por Edu Krieger e arranjado por Marcelo Caldi, celebra a influência direta da cultura de matriz africana na música brasileira, sobretudo carioca, e reúne um repertório que vai de Paulo César Pinheiro, Jamelão, Baden Powell, dentre tantos outros.

 

Sobre a palestra

Como um leve bate-papo, a palestra “Africanidade brasileira e sua influência na música popular” tem como objetivo principal a conscientização quanto ao valor da
cultura negra e a sua importância na formação da música brasileira. As expositoras irão mostrar um breve histórico de suas carreiras, enfatizando o que as
direcionaram para o universo musical, e as dificuldades neste percurso.

Áurea Martins, Marina Íris e Luíza Dionízio também abordaram as influências africanas que marcaram suas vidas profissionais, além de dar dicas, sugestões e motivações a quem quer investir na carreira artística.

Elas também apresentaram uma performance ao vivo de trechos musicais, como exemplos da exposição proposta.

 

Público-alvo:

Estudantes de música, músicos amadores e profissionais, estudiosos da música, da cultura popular brasileira e da cultura e história da África, interessados em geral no tema, estudantes do Instituto Nacional de Educação de Surdos e de estudantes cegos de música do Instituto Benjamin Constant.

 

As palestrantes:

Luiza Dionizio

O canto instintivo e de rara sensibilidade de Luíza Dionísio levou a artista a se apresentar ao lado dos maiores nomes da MPB como Elton Medeiros, Henrique Cazes, Fátima Guedes, Luiz Melodia, Carlos Malta, Wilson Moreira, Diogo Nogueira e Dona Ivone Lara. Seu primeiro álbum, “Devoção” (2010), recebeu as indicações de melhor cantora de samba e de melhor cantora no voto popular do XXI Prêmio da Música Brasileira. Apresentou-se em todo o Brasil e circulou a Europa em turnê em 2012. Faz parte do DVD “Som Brasil Arlindo Cruz”, lançado recentemente pela Som Livre, interpretando 3 faixas de autoria do homenageado. Participou ainda do DVD “Samba Social Clube Vol. 5”, (Universal, 2014).

Áurea Martins

Áurea Martins iniciou a carreira na Rádio Nacional e gravou seu primeiro disco como prêmio pelo primeiro lugar no programa “A Grande Chance”, de Flávio Cavalcanti, em 1969, na extinta TV Tupi. Completou 75 anos em 2015. Com quatro Cds, um DVD e quatro LPs de carreira, cantou na noite carioca por mais de 40 anos. Ganhou o Prêmio da Música Brasileira – Melhor Cantora MPB (2009) com o CD “Até Sangrar”, e lançou o segundo CD “De pontacabeça” (2010), os dois produzidos por Hermínio Bello de Carvalho, pelo selo Biscoito Fino. Áurea concorreu como melhor cantora no Prêmio da Música Brasileira 2012, com o primeiro DVD “Iluminante” lançado no mesmo ano também em CD.

Marina Íris

Finalista da 3ª Amostra do Concurso Novos Bambas do Velho Samba, a cantora levou para sua apresentação um pouco do carnaval das décadas de 50 e 60. Nos últimos anos, fez shows homenageando grandes compositores. Cantou versos de Paulo Vanzolini, João Nogueira, Cartola, Dorival Caymmi, Nássara, Pedro Caetano, Mario Lago, em temporadas nas casas mais tradicionais do Rio, como Semente, Bola Preta, Bar do Tom, Centro Cultural Carioca, Centro de Referência da Música Carioca, Rio Scenarium. Desde 2012, Marina se apresenta regularmente no palco do Carioca da Gema, na Lapa. Hoje comanda as noites de sexta-feira ao lado do cantor Julio Estrela. Seu disco de estreia foi lançado em dezembro de 2014, no Teatro Rival. Vem mostrando seu trabalho em Sescs e casas de show pelo Brasil. Em viagem recente, apresentou-se em São Paulo e no Maranhão.

 

Imagens (fotos Cyntia C. Santos):