O SONHO SE TORNOU REALIDADE: ‘CASA DE SONHOS’ LOTA SALA CECÍLIA MEIRELES

Foi uma tarde de domingo para ficar marcada na história da Escola de Música Villa-Lobos. Às 17 horas do dia 11 de dezembro, o hall da Sala Cecília Meireles estava lotado com um público a espera dos grupos musicais da Escola de Música Villa-Lobos e seu espetáculo, “Casa de Sonhos”. Estavam diante da iminência da concretização do sonho de estudantes de música que vencem barreiras naturais impostas para atingirem o patamar de excelência da vida profissional.

“Casa de Sonhos” também demonstra o sucesso do empreendimento de uma instituição de ensino musical que carrega a tradição em se dedicar à musicalização de crianças e adultos: a Escola de Música Villa-Lobos, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura/FUNARJ.

Foram ao todo 160 músicos envolvidos, dos corpos discente e docente da Escola de Música Villa-Lobos, apresentando o resultado de ensaios exaustivos em repertórios de gêneros variados para diferentes instrumentos, dos mais populares aos mais eruditos.

15350550_1869284359972766_2007415786709755538_n“Casa de Sonhos” começa com ciranda e cortejo

Tudo começou no primeiro ato, com o Hall da Sala Cecília Meireles lotado e o público embalado pelo o Coro Infantojuvenil e a ciranda “Casa de Farinha” (domínio público), numa alegoria da infância e sua latente expressão artística do canto e da dança. O coro tem orientação do maestro e professor Leandro Gregório. A ciranda levou o público em cortejo para dentro da sala, e as vozes continuaram no palco cantando cirandas tradicionais pernambucanas, com destaques para “Onça” (Juca do Bolo) na voz da soprano Nila Clara, e “Berimbau” (Vinícius de Moraes e Baden Powell) com a capoeira de Átila Soares e o berimbau de Mestre Riko.

Homenagem ao maestro Heitor Villa-Lobos não poderia faltar, e a Fina Batucada, o grupo de percussão composto só de mulheres, ousou ao convidar o guitarrista Rafael de Oliveira “Farofa” para rasgar o som com os agudos em “Trenzinho caipira” embalados pelos repiques, chocalhos e agogôs regidos por Mestre Riko. O grupo também interpretou trecho do “Bolero”, de Ravel, e o Hino Nacional Brasileiro.

Na sequência, o Coro Infantojuvenil voltou ao palco, desta vez em trajes de gala para a Missa Gospel, um repertório do canto popular americano de louvação religiosa responsável pela formação de diversos cantores. A regência ficou novamente a cargo de Leandro Gregório, com Gisele Sant´Anna no piano, e o destaque para a perfeição nas vozes das solistas Suzana Santana, Val Coutinho e Átila Soares.

15390834_1869283866639482_271812548329035815_nApós o Coro Infantojuvenil, foi a vez da Orquestra de Câmara, sob a regência do Maestro Marcelo Palhares, interpretar obras clássicas de Antonio Vivaldi e Handel. A orquestra contou com as participações especiais da soprano Willa Soanne e do flautista Eugenio Ranevsky.

Demonstrando que a Escola de Música Villa-Lobos mescla em seu ensino o melhor da música brasileira e suas principais influências, o grupo Chorando Baixinho leva de volta ao palco um repertório popular, agora com obras-primas do choro, como “Andorinha” (Xavier Filho), “Murmurando” (Fon Fon), e “Na Glória” (Raul de Barros), tudo sob a tutela do clarinetista Genivaldo Soares.

Repertório mescla o melhor da música brasileira com suas principais influências de todos os tempos

O segundo ato começou com o grupo Villa Quinteto, formado por professores consagrados da Escola de Música Villa-Lobos: Alfredo Machado (violão), Anderson Cardozo (piano), Omar Cavalheiro (baixo), Luis Medina (saxofone) e o aluno Edmilson Silva substituindo o professor Rodrigo Serra (bateria). No repertório, obras-primas de Hermeto Pascoal, Noel Rosa e Edu Lobo.

15439728_1869283996639469_82693017841282499_nEm seguida, um dos pontos mais emocionantes da noite. O Coro de Câmara, composto por mais de vinte coralistas, mostrou no palco da Sala Cecília Meireles um resultado irretocável de seu espetáculo “Bitucanto”, em que interpretam canções de Milton Nascimento. Entre movimentações corporais e ocupação dos corredores da plateia, obras-primas como “Ponta de areia”, “Travessia”, “Cais”, “Cio da Terra”, “Maria Maria”, dentre outros, emocionaram o público. O Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos é regido pelo maestro José d´Assumpção, possui direção cênica de Nayamara Bomfim e preparação vocal de Fabíola Carvalho e Daniel Cavalcante. A apresentação contou com as participações especiais de PC Castilho, na flauta, e Mestre Riko, na percussão.

Um dos maiores nomes do piano brasileiro, professor da Escola de Música Villa-Lobos, João Carlos Assis Brasil subiu sozinho ao palco e tomou conta do piano e da plateia, mesclando sua leveza e virtuose nas teclas num repertório em homenagem às trilhas clássicas do cinema.

Fechando as apresentações, as bandas Black e Jazz Total levaram mais de 30 alunos ao palco sob a regência do maestro Jorge Éder, e atacaram uma sequência de sucessos populares que se eternizaram na música brasileira, como “Aquarela do Brasil” (Ary Barroso), “Mais que nada” (Sérgio Mendes) e “Samurai” (Djavan), além de requintadas pérolas do soul brasileiro, como “Bom Começo” (Adriano Gioffoni) e “Leblon via Vaz Lobo” (Banda Black Rio).

15541342_1869284376639431_2622921026200690639_nA Fina Batucada voltou ao encerramento, sob a regência de Mestre Riko, finalizando com chave de ouro num cortejo que levou o público à frente da Sala Cecília Meireles.

No texto de apresentação, o diretor da Escola de Música Villa-Lobos, Carlos Belém (foto), enfatiza que se deve reinterpretar o conceito de sonhos como aquilo que pode ser alcançado.

Desta forma, após esta memorável tarde de domingo, num dos mais importantes espaços de apresentação musical do país, a Sala Cecília Meireles, jovens músicos e profissionais qualificados se uniram para abrirem portas, para si próprios e para todos que acreditam numa sociedade em que a cultura, em especial a música, deixe de ser algo inalcançável e restrito, para algo universal e acessível a todas as camadas da população. São as portas da ‘Casa de Sonhos’.

E o sonho se tornou realidade. Viva a música!

 

Todos os participantes do espetáculo “Casa de Sonhos”:

Coro Infantojuvenil
Regência: Leandro Gregório | Preparação vocal: Suzana Santana | Piano: Gisele Sant´Ana, Caio Lima | Violão: Gabriel Ramos | Percussão: Mestre Riko | Coralistas: Adriel Kelcio, Aline Alvarenga, Aline Wicz, Ana Júlia Mariano Carvalho, Caio Lima, Cristiana Castro, Davi Alves, Fernando Ribeiro, Gabriel Ramos, Gabriela Maciel, Gilbert Gomes, Giullianna Borges, Igor Esteves, João Mateus Ferreira, João Vinícius Barbosa, Kelvin Kélcio, Manuela Geammal, Matheus Victor, Moara Abbayomi, Nila Clara Fernández, Pedro Paulo Paranhos, Renata Villon, Sarah Sousa, Tainá Carvalho, Victor Luís Rodrigues | Solistas: Nila Clara Fernandez, em ”Onça” (Juca do Bolo. Arr. A. protásio), Suzana Santana, Val Coutinho e Átila Soares (“Gospel Mass”) | Dançarino: Átila Soares, em ”Berimbau” (B. Powell & V. Moraes / Arr. L. Gregório e H. Lisboa)

Fina Batucada
Regência: Mestre Riko | Percussionistas: Ana Beatriz Santos de Souza, Ana Beatriz da Silva Viturino, Ana Carolina Santos Vitorino, Ana Cristina de Sousa Santos, Beatriz Briggs Dantas da Costa, Bruna Guimarães Batista, Cristiane Etelvino de Andrade, Elaine Nunes Gonçalves, Gleice Medeiros da Silva, Iris de Araújo Pimentel, Isabely Cristina Moreira Paz, Karen Araújo Lopes, Laís de Oliveira Viana, Patricia Luana Costa Araújo, Priscylla Correa da Costa, Raquel França Nobre, Thaiane Patricio Almeida | Guitarrista: Rafael de Oliveira bazano (Farofa) | Bailarinas: Cinthia Pontes, Daniela Lopes Mahmud , Karen Araújo Lopes , Luciana Martins | Coreógrafo: Carlos Alberto de Assis da Silva.

Orquestra de Câmara
Maestro convidado: Marcelo Palhares | Regente preparador: Alexandre Somazz | Solitas (flauta): Eugênio Ranevsky | Solista (soprano): Willa Soanne | Violino: Stephanie Ribeiro (spalla), Douglas Bezerra, Rodrigo Moreira, Anne Karolyne Barbosa da Silva Junior, Leonardo Truda, Gilbert Vilela, , Juliane Nascimento, Carlos Eduardo de Carvalho Nascimento | Viola: Jéssica Oliveira, Pedro Henrique dos Santos Luna, Vinícius Rodrigues, Elyanderson  Cândido de Souza Pereira | Violoncelo: Filipe Castro de Sá, Isabela Mendonça Fontes | Contra-Baixo: Lucas Rodrigues Souza, Marlon Dani Neto | Violão: Victor Gabriel Alves | Cravo: Eduardo Burgos | Piano: Rodrigo Cesar.

Chorando Baixinho
Coordenação: Genivaldo Soares | Clarineta: Genivaldo Soares | Violão: Jandivison Guilherme e Raphael Gaspar | Violão Sete Cordas: Gian Gomes | Cavaquinho: Guilherme Kauã | Surdão: Pedro Rocca | Pandeiro: João Jhonata

Villa Quinteto
Violão: Alfredo Machado | Contrabaixo: Omar Cavalheiro | Bateria: Rodrigo Serra | Teclados: Anderson Cardozo | Saxofone e flauta: Luis Medina | Participação Especial: Mestre Riko (percussão)

Solo
João Carlos Assis Brasil

Coro de Câmara
Direção Musical: José d’Assumpção Junior | Direção Cênica: Nayamara Bomfim | Preparação Corporal: Patrícia Motta | Indumentária: Carlos Eduardo Almeida | Preparação Vocal: Fabíola Carvalho e Daniel Cavalcante | Percussão: Laís de Oliveira Miranda , Mestre Riko | Flauta: PC Castilho | Piano: Taynara Barbosa | Violão: Vitor Gabriel | Cello: Isabela Fontes | Coralistas: Aline Ribeiro, Andrea Nesi D’Ávila, Beatriz Alves, Bruno Santos, Carlos Almeida, Clari Medeiros, Daniel Cavalcante, Débora Rodrigues, Eleandro Cavalcante, Glauce Desmarais, Glayce Ribeiro, Lucas de Oliveira, Luciana Ribeiro, Luise Braga, Marcelo Baia, Maria Ellisa, Mariana Campitelli, Noemi Rodrigues, Saulo Ferreira, Talita Evangelista, Tayara Maciel, Thiago Macedo, Vanessa Xisto.

Banda Black & Jazz Total
Regência e Direção musical: Jorge Eder | Arranjos: Jorge Eder, Carine Zurmele, Lucas Rodrigues, Chico Renan | Preparação Vocal: Fabíola Carvalho | Vozes: Carine Zurmele, Barbara Monteiro, Ana Paula, Giovana Lacerda, Guilherme Ramos, Leonardo de Carvalho e Patrick Vieira | Bateria e Percussão: Antonio de Pádua, Edmilson Silva, Flávio Junior, Luís Fillype Barros, Leonardo Mothé, Luis Filype Macedo e Pedro Vilhena | Baixos: Lucas Rodrigues, Carlos Rodrigo | Guitarras: Chico Renan, Daniel Souza, Mario Augusto e Raul Colombini | Teclados: Lucas Corel | Sax alto: Marcus Vinicius Conde, Asafe Souza | Sax tenor: Alberto Goyena, Elizeu Luz, Reubem Neto | Sax barítono: Marlon Dias | Trompete: Hardman Rodrigues, Herbert Cezar, Gabriel Rufino, Tiago Nascimento | Trombone: Pablo Beato | Violino: Bruna Zurmele, Carine Zurmele | Violoncelo: Karen Barbosa | Contrabaixo: Lucas Rodrigues | Participação especial: Fabíola Carvalho (voz), Vinícius Vivas (ukulelê) e Fina Batucada.

Equipe técnica
Direção Artística: Wladimir Tourinho | Produção: Glaucia Sundin, Luísa Marques e Maurício Flora | Comunicação e Vídeo: Pedro Soares, Nincow Luciano e Mauro Wermelinger | Técnica de Sonorização: Sérgio Manso, Alex Santos e Ricardo J. Silva.