Atual Direção da Escola de Música Villa-Lobos completa dois anos

O dia 15 de junho de 2017 representou dois anos de gestão da atual diretoria da Escola de Música Villa-Lobos, um espaço da Secretaria de Estado de Cultura / FUNARJ, tendo à sua frente o nome do músico, produtor, gestor cultural e professor, Carlos Belém.

Com a experiência de quem já passou pelos corredores e salas de aula da Escola de Música Villa-Lobos (EMVL) em outras épocas, seja como aluno do Curso Básico e da primeira turma do Curso Técnico, seja como professor, coordenador, presidente e vice-presidente da Associação dos Músicos, Professores e Amigos da Escola de Música Villa-Lobos (AMAVILLA), Carlos Belém fundamentou sua gestão na participação dos corpos docente e discente por meio de reuniões frequentes com pais e responsáveis, por estabelecer reuniões semanais com coordenadores de todos os cursos, e por receber todos os mais de 70 professores que lecionam na escola a fim de conhecer suas opiniões e críticas.

Tais medidas permitiram uma visão mais ampla e democrática da EMVL e geraram resultados imediatos conforme as demandas da instituição, como uma maior proximidade e fortalecimento da AMAVILLA, tendo como consequência o crescimento no número de alunos inscritos no Curso Básico em 21% de 2016 para 2017. Outro resultado imediato foi o restabelecimento das inscrições para o Curso Técnico, gratuito, profissionalizante e oferecido pelo Estado. Hoje são 103 alunos matriculados no Curso Técnico. Além destes dois cursos, há o Curso Formação Musical, de inicialização gratuita, oferecida pelo Estado, e que possui 237 alunos inscritos na faixa de 8 a 12 anos. Somadas as matrículas de todos os cursos oferecidos, a EMVL possui matriculados em sua sede um total de 2.319 alunos.

Listamos abaixo as principais realizações ao longo destes dois anos completados pela atual gestão da Escola de Música Villa-Lobos:

 

Polos Avançados

Os Polos Avançados da Escola de Música Villa-Lobos são extensões do ensino musical em direção ao interior do Estado do Rio de Janeiro, por meio de convênios com as prefeituras municipais locais. Neste período de dois anos, dois novos Polos Avançados foram concretizados: os polos de Teresópolis e Cachoeiras de Macacu juntam-se aos já existentes, Paracambi, Miracema, Conceição de Macabu e Armação dos Búzios. Somando-se todos os alunos, da sede do Rio de Janeiro com os matriculados nos polos avançados, a Escola de Música Villa-Lobos possui 3.867 alunos.

 

I Concurso Nacional de Piano da Escola de Música Villa-Lobos

A Escola de Música Villa-Lobos possui em sua história a realização de concursos de instrumentos, como piano e violão, mas nunca havia produzido um de abrangência nacional. Com inscrições abertas de 8 de maio a 7 de julho, o I Concurso Nacional de Piano da Escola de Música Villa-Lobos será composto de categorias até 25 anos, recebendo inscrições de músicos estudantes, profissionais e amadores. As avaliações ficam sob responsabilidade de uma banca de jurados renomados. O concurso será realizado entre os dias 24 e 28 de julho no Auditório Guerra-Peixe, com apresentações abertas ao público.

 

Tom da Escola

Em março de 2017, a Escola de Música Villa-Lobos fechou parceria com o Instituto Antônio Carlos Jobim, com a intenção de levar a musicalização infantil para 300 crianças de comunidades em áreas de vulnerabilidade social do Rio de Janeiro.

 

FestVilla – Festival da Canção da Escola de Música Villa-Lobos

Um dos objetivos primordiais da gestão do diretor Carlos Belém foi voltar com o Festival da Canção da Escola de Música Villa-Lobos, o FestVilla. Este é um projeto que existe na EMVL há mais de 15 anos, mas interrompeu-se por um breve período e foi retomado em 2016. Nele, os alunos da EMVL inscrevem suas canções inéditas, autorais e na língua portuguesa. Na edição de retorno do festival, em 2016, houve uma mudança na forma da apresentação. Em vez de fitas demos, os candidatos apresentam suas músicas para um júri especializado. A fórmula deu certo, o FestVilla 2016 recebeu mais de cem canções inscritas, e os finalistas apresentaram-se no palco de um Teatro João Caetano lotado. Neste ano de 2017 o festival continua com toda força, com noventa canções inscritas. Assim, confirma-se o alcance ao objetivo principal deste projeto: a integração entre alunos, o estímulo à criatividade artística e a superação do enfrentamento do público.

 

Casa de Sonhos

A Casa de Sonhos corresponde a uma realização dos corpos docente e discente da Escola de Música Villa-Lobos, num momento em que os grupos musicais apresentam ao grande público tudo que foi absorvido e ensaiado nas salas de aula ao longo do ano. Esta realização conjunta ocupou o palco da Sala Cecília Meireles, lotando todas as suas cadeiras, levando um total de 160 músicos, entre alunos e professores, em grupos de corais, sinfônicos, de choro, de samba-bossa, de percussão e de jazz.

 

Brasil Vocal

O Coro Juvenil da Escola de Música Villa-Lobos, no primeiro ano de gestão da atual Diretoria, faturou o Prêmio Brasil Vocal 2015 na categoria de melhor grupo de canto coral juvenil. O Coro Juvenil possui uma agenda de apresentações em diversos locais da cidade, destacando-se projetos especiais para o Metrô Rio, concertos em tradicionais igrejas, como a Igreja Presbiteriana de Copacabana, e convites, como na posse do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, ocorrida na Alerj em 2016.

 

Vale do Café

O diretor Carlos Belém esteve presente na edição 2015 no prestigiado Festival Vale do Café, realizado no Sul Fluminense, para acompanhar a apresentação do Coro Juvenil da Escola de Música Villa-Lobos e a participação de dezenas de alunos da EMVL, que sempre recebem do festival bolsas de estudos. Destaque para o prodígio egresso da EMVL, Nathan Ventura, que foi monitor do flautista Celso Woltzenlogel no referido festival.

 

Encontros, debates e seminário em Brasília

Ao longo de sua gestão, a atual Direção recebeu convites para apresentar em encontros, debates e seminários a atuação da Escola de Música Villa-Lobos. Dentre os destaques, estão a participação de Carlos Belém no Seminário Nacional de Formação Artística e Cultural, realizada pelo Ministério da Cultura, em Brasília; e a palestra sobre “O mercado de trabalho para pianistas”, no Seminário de Técnica e Interpretação Pianística, realizada na UNI-Rio.
Visitas

Quem já passou pelo corpo docente da Escola de Música Villa-Lobos sabe o prestígio que carrega o nome da instituição. Nomes como Miguel Proença, José Botelho, Celso Woltzenlogel e José Vieira Filho, ex-professores, fizeram questão de revisitar a EMVL. Também passaram para prestigiar o trabalho na atual gestão e para propor parcerias, nomes como a harpista Cristina Braga e o diretor do Instituto Villa-Lobos, Sergio Barrenechea.

 

Workshops, oficinas, Prata da Casa

Foram muitos os workshops, as oficinas e as apresentações realizadas no Auditório Guerra-Peixe ao longo deste período de dois anos. Destacam-se as realizadas no 54º Festival Villa-Lobos, que trouxe nomes como Egberto Gismonti, a Camerata Romeu (Cuba), Alexandre Schubert, Mário Séve e Mario Adnet; a Série Encontros, que trouxe nomes como Nivaldo Ornelas, David Ganc e João de Aquino; apresentações de músicos em turnê, como a da pianista Suzi Magalhães; Rio International Cello Encounter; visitas internacionais, como o encontro Next Level, grupo de Hip Hop dos Estados Unidos, a apresentação das musicitas tchecas, Ingrid Sotolarova e Anna Kratochvílova; a Série Prata da Casa, com ex-alunos de violão do professor Antônio Guapiassu, com o grupo de professores Villa Quinteto, e com o grande pianista e professor, João Carlos Assis Brasil.

 

Formação de plateia

Através de alguns parceiros da Escola, como Petrobras, Escola Sesc de Ensino Médio, Secretaria de Estado de Cultura / Lei de Incentivo à Cultura, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sala Cecília Meirelles e Fundação Eva Klabin, a Escola de Música Villa-Lobos mantém o programa de formação de plateia através da cessão de ingressos para espetáculos culturais com o intuito de distribuí-los aos nossos alunos e professores. Nos anos de 2015 e 2016, foram 2.841 ingressos distribuídos para maia de 200 espetáculos.